Conservação
Reintrodução de Espécies no seu Habitat Natural

O Jardim Zoológico tem participado em várias ações de reintrodução de espécies no seu habitat natural, tanto em território nacional como noutras áreas geográficas.

De facto, repetidas vezes foram entregues aos cuidados dos Serviços Veterinários e Zoológicos, animais feridos ou doentes que, uma vez tratados e recuperados foram entregues ao Serviço Nacional de Parques e Florestas para voltarem à vida em liberdade.

Mais casos ilustram a participação do Jardim Zoológico na preservação e defesa das espécies, em particular no quadro da colaboração com a CITES (Convenção Internacional sobre o Comércio de Animais). Com efeito, muitos dos animais apreendidos pela CITES vêm para as instalações do Zoo onde são recuperados e, sempre que possível, reintroduzidos depois no seu habitat.

Através do trabalho conjunto com o governo da África do Sul, o Jardim Zoológico orgulha-se de ter contribuído diretamente para a conservação do Rinoceronte-preto (Diceros bicornis) em África, através da reintrodução em habitat natural. A Shibula, uma fêmea adulta, integrou-se bem, e já originou com sucesso, pelo menos 4 crias.

 

Outros animais foram já reintroduzidos como é o caso de um casal de Ádax (Addax nasomaculatus), uma espécie ao abrigo do EEP. Esta espécie já esteve extinta na Natureza, no entanto, tem vindo a ser recuperada e reintroduzida no habitat natural. O Jardim participou com o envio de um casal num projeto em que foram reintroduzidos 70 animais de 16 Zoos diferentes, no Parque Nacional de Souss-Massa em Marrocos.

 

O Órix-da-arábia (Oryx leucoryx), considerado extinto na Natureza em1972, foi também alvo do trabalho conjunto de conservação da espécie e em 1982 foi libertado o primeiro Órix-da-árabia em Omã. O Jardim Zoológico enviou, em 2003, duas fêmeas desta espécie para a Al Wabra Wildlife Preservation, no Qatar, uma área protegida incluída no seu habitat natural e distribuição de origem.

 

O Moxico, um leão-africano (Panthera leo) macho adulto, é outro exemplo de uma reintrodução com sucesso. Nasceu no Jardim Zoológico e depois de alguns anos como macho dominante foi destronado. A sua reintrodução no Parque Letchwe Lodge, na África do Sul, decorreu sem problemas.


Recentemente, o Jardim Zoológico foi o parceiro escolhido pela Rússia para levar a cabo o plano de reintrodução do Leopardo-da-pérsia (Panthera pardus saxicolor) no seu habitat natural, no Cáucaso. Está ameaçado (estatuto de conservação: “em perigo”) essencialmente devido à fragmentação do seu habitat, à caça e à diminuição das suas presas que têm contribuído largamente para o declínio desta espécie.

No Jardim Zoológico, esta é uma espécie que tem tido muito sucesso reprodutivo, sendo que nos últimos anos nasceram 8 crias, fruto do trabalho de excelência efetuado pela equipa de tratadores e veterinários. O projecto de reintrodução destes animais no Cáucaso consiste na sua reprodução no Socchi National Park, para posterior reintrodução das crias. O Jardim Zoológico contribuiu com um casal que já lá se encontra neste momento a recomeçar uma nova vida a dois!

 



Destaques
Festas de Aniversário no Zoo
Apadrinhe a Bela e ganhe 1 bilhete